Economia: Crédito facilitado é um caminho para organizar a vida financeira?

Segundo fintech financeira, famílias que têm dificuldade de conseguir empréstimos ainda têm alternativas

A escassez de crédito aliada ao endividamento são problemas que afligem milhões de brasileiros que precisam pagar as suas contas básicas ou investir em projetos pessoais, como negócios próprios. De acordo com o que revelou um levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), de abril deste ano, 28,5% das famílias brasileiras estão inadimplentes, ou seja, com dívidas em atraso. Puxado pelo maior uso do cartão de crédito, o endividamento é um obstáculo desafiador em um momento em que a economia ainda tropeça devido aos efeitos da pandemia. 

Mas em muitos casos, o acesso a linhas de crédito pode ser a solução para o problema de muitas destas famílias. Pegar dinheiro emprestado para quitar uma dívida que corrói a renda mensal é uma medida que deve ser avaliada por quem está nesta situação, no entanto, quem está endividado tem dificuldade em acessar linhas de crédito. Por isso, a fintech Super Sim inovou ao trazer uma nova chance de acessar dinheiro rápido e sem burocracia, inclusive para negativados. 

Segundo a fintech, o empréstimo online facilita a vida de quem necessita de rapidez na liberação de pequenos valores e é uma alternativa prática para fugir da burocracia das instituições financeiras tradicionais. A empresa disponibiliza créditos de R$ 250 a R$ 2,5 mil que podem ser obtidos a partir do aplicativo da empresa em qualquer telefone. 

Em entrevista, Carolline Corrêa Volpato, Gerente na Super Sim, explica mais sobre como o acesso facilitado funciona:

Qual a importância do acesso ao crédito?

A classe trabalhadora do Brasil tem sua receita familiar muito próxima ao seu custo básico de subsistência. O acesso ao crédito permite não só lidar com emergências que surgem na vida das pessoas, como também permite uma mobilidade social, através de recursos extras. É possível investir em sua própria educação, seu próprio negócio, quitar dívidas passadas e aumentar seu score de crédito, entre outras necessidades que não cabem nessa renda familiar produzida mensalmente. O efeito de exclusão da classe C e D do mercado de crédito pessoal pelos grandes bancos inviabiliza qualquer possibilidade de crescimento.

Que tipo de necessidade o microcrédito costuma atender?

Recentemente produzimos um estudo chamado de “Barômetro do Crédito Pessoal” que mostra que 36,9% das pessoas pediram empréstimo para investir em seu negócio ou bico, 17,35% para pagar parcelas de compras e 13,9% para pagar despesas inesperadas e repentinas. Além desses, outros motivos são listados em nosso estudo. 

Como ocorre a liberação de crédito para pessoas já negativadas?

O efeito de inadimplência no mercado de crédito não está associado diretamente às classes sociais. A inadimplência está mais associada ao perfil de consumo e comportamento do usuário. Um fator importante no nosso caso é que nossos clientes são constantemente negados em outros lugares e aqui aprovados. Isso constrói, em algum grau, um comprometimento maior com o pagamento das parcelas, fazendo com que nosso cenário de inadimplência seja muito diferente do mercado convencional.

Existe um perfil específico do tomador de empréstimo?

Sim, brasileiros de 25 a 50 anos das classes C e D, trabalhadores que precisam complementar sua renda, resolver um problema emergencial ou investir em seu pequeno negócio. Via de regra, são pessoas que não são aprovadas em outras instituições bancárias por seu histórico financeiro ou até mesmo ausência de um histórico financeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *